Capacitação e Treinamento em SMS

Treinamentos em SMS

   A realização de treinamentos de Saúde, Segurança e Meio Ambiente é feita por todas as empresas, sem exceção. Muitos treinamentos são impostos pela regulamentação e alguns são feitos de forma proativa pelas empresas. Infelizmente, muitos destes treinamentos são vistos como “perda de tempo” pelos funcionários treinados e tem, portanto, pouco impacto na melhoria do desempenho de SMS – Saúde, Meio Ambiente e Segurança – das organizações.
Neste artigo serão apresentadas estratégias e táticas para que se façam treinamentos eficazes.

Por Que treinar funcionários?

   As únicas razões para se fazer treinamentos é influenciar trabalhadores para que:
a) Executem suas tarefas de uma forma pré-determinada, que minimize os riscos de suas atividades;
b) Desenvolvam comportamentos que privilegiem sua própria segurança e saúde, a de seus colegas e o respeito ao meio ambiente;
c) Desenvolvam consciência que os permita perceber os riscos e antecipar consequências de suas ações.
Embora alguns considerem “ATENDER À LEGISLAÇÃO” como uma razão válida para se fazer treinamentos, há que se considerar que a intenção da autoridade que estabeleceu o requisito de treinamento é necessariamente uma das razões elencadas acima.

Treinar é influenciar

   Influenciar pessoas é uma arte sutil e segurança é um estado, um conceito abstrato. A combinação destas duas variáveis de forma a produzir resultados eficazes é bem difícil. As maneiras de influenciar variam conforme o público (na verdade, variam de pessoa para pessoa), assim como a percepção do que é seguro. Formas de abordagem usadas eficazmente em um tipo de público (ou pessoa) destoam completamente de outro tipo de público, que pode as considerar “brutas” ou “leves” demais. Fenômeno semelhante ocorre com a percepção do que é segurança: o que é “óbvio” para um grupo (ou indivíduo) pode ser totalmente “absurdo” para outro.
No que se refere a treinamentos, cabe ao influenciador:

– adaptar a mensagem ao público, jamais o contrário;
– fazer o melhor uso possível dos canais de comunicação disponíveis;
– adequar a carga horária e otimizar o uso do tempo;

   Este assunto já foi abordado neste artigo: Comunicação na Gestão de Segurança, Saúde e Meio Ambiente. Agora, usaremos este conhecimento aplicado a Treinamento.
Compreendido o fato de que treinamentos são situações de exercício de influência, cabe ao treinador fazer o melhor uso de suas habilidades de influência e, ao longo do tempo, melhorá-las.

Acertando o tom

   Primeiro, é importante entender quem é o público e adequar a mensagem à forma preferencial de recepção (O Canal de Propagação) dos receptores. Obviamente temos que levar em consideração as limitações de tempo, espaço e tecnologia disponíveis para fazer o treinamento, mas é fundamental que o treinador dedique algum tempo para preparar o treinamento.
Dependendo do público, isto significa fazer bons slides ou preparar materiais que os participantes possam preencher e manusear. Todos os materiais usados devem ser de boa qualidade, bem produzidos, impressos e sem erros de ortografia!
Embora os cuidados audiovisuais sejam importantes, o MAIS IMPORTANTE é acertar o linguajar do treinamento. É preciso, tanto quanto possível, usar o jargão adotado pelos treinandos. Cuidado especial deve ser tomado no sentido de não exagerar, sob pena de “soar falso” e até mesmo cair no ridículo.

Tornando tudo pessoal

   É necessário gerar empatia entre o ministrante do treinamento e seus alunos. Isto depende fundamentalmente da habilidade do treinador. Por essa razão deve ser dedicado muito cuidado na escolha de quem facilitará o treinamento. Temas importantes são muitas vezes prejudicados pela falta de conexão entre treinador e treinandos.
A responsabilidade de gerar empatia é exclusivamente do treinador. Por isso o cuidado na seleção e adequação do treinador à turma, especialmente nos treinamentos obrigatórios que tradicionalmente tem baixa efetividade e costumam ser mal avaliados.
A grande dica para gerar empatia é ser autêntico. O treinador deve falar de assuntos que realmente domina e fazer-se acessível aos treinandos. Isto pode ser feito de forma estruturada, estabelecendo um período para perguntas e respostas ao final da sessão de treinamento ou deixando todos livres para exporem suas dúvidas a qualquer tempo. Mesmo que estas regras sejam estabelecidas formalmente, devem ser demonstradas e incentivadas, pois sempre há alguma inibição durante treinamentos, especialmente nos seus primeiros momentos.

Tornando tudo relevante e interessante

   Um desafio comum ao se fazer treinamentos é manter a atenção da turma. Isto é particularmente difícil com adultos, que muitas vezes, são submetidos a sessões de treinamento a contragosto. Esta situação é bastante agravada quando o treinador demonstra que o treinamento está sendo realizado para “cumprir a regulamentação”. Neste caso, mensagem que costuma passar é que o treinamento está sendo feito “para cumprir tabela”.
Mesmo nos treinamentos feitos para atender a requisitos legais, é necessário que estes sejam deixados atraentes e relevantes.
A maneira de se estabelecer a relevância de um treinamento é tornar claro qual benefício será obtido pela aquisição do conhecimento que se quer passar. Aqui, há uma armadilha. Muitas pessoas – talvez a maioria – agem de modo a atender a seus próprios interesses (e não há nada de errado com isso) e, caso seja apresentado o termo “benefício”, podem literalmente entender “benefício financeiro”. Novamente, cabe ao treinador ter tato e sensibilidade para explicar em termos que a turma de treinandos entenda, quais as razões que originaram a sessão de treinamentos e quais os resultados esperados a partir do treinamento. Clareza e honestidade são fundamentais para se estabelecer a relevância.
Existem muitas maneiras de tornar um treinamento interessante. Em boa parte, trata-se de impressionar o público através de materiais bem produzidos, fazer a exposição da matéria em estudo de forma habilidosa e proporcionar participação dos alunos.

Treinamentos Online

   A tecnologia atual permite que sejam realizados facilmente treinamentos online. Este tipo de treinamento apresenta desafios particulares, pois a forma de entrega do conteúdo é relativamente independente de instrutor.

Existem basicamente dois tipos de treinamentos online:
– Autônomos: Nos treinamentos autônomos, os alunos acessam o material de treinamento livremente. As plataformas de treinamento costumam apresentar belas apresentações interativas que prendem a atenção das pessoas e facilitam a fixação de conceitos simples. De acordo com o tipo de treinamento e plataforma, podem ser apresentadas questões ao longo ou ao final do treinamento, que fixam ainda mais o conteúdo e servem como comprovação de eficácia.
– Assistidos por Facilitador: Estes treinamentos em muito se assemelham aos treinamentos presenciais, pois ainda que sejam ministrados pelo computador, há um apresentador que explica todo o material e se mantém disponível para sanar dúvidas durante a sessão.

   Em ambos os tipos, deve ser dedicada atenção especial à manutenção da atenção dos alunos durante o treinamento. Nos treinamentos autônomos existe a tentação de passar os slides rapidamente sem absorver todo o conteúdo. Nos treinamentos assistidos infelizmente é comum “deixar o apresentador falando sozinho” enquanto o aluno se dedica a fazer outras atividades…

Verificando a Eficácia

   A etapa final do treinamento, e uma das mais complexas de se fazer, é verificar a eficácia. Em muitos casos a verificação da eficácia pode ser feita através da observação direta da mudança de comportamentos da equipe treinada.
Essa forma empírica de verificação só é válida nas situações em que não há necessidade de COMPROVAR a eficácia. Quando há esta necessidade, normalmente são aplicados testes escritos.
Uma forma alternativa de se comprovar eficácia de treinamentos é fazer uso de fichas de observação no trabalho. Estas fichas devem ser preenchidas pelo gestor do funcionário treinado, que observa e atesta que o conhecimento obtido no treinamento teve de fato impacto positivo no comportamento e/ou no desempenho do funcionário.

Conclusão

   Treinamentos são importantes e consomem muito tempo das equipes de SMS. Muitas vezes, são injustamente mal avaliados em função de não serem conhecidas ou respeitadas algumas das regras aqui apresentadas de forma superficial.
Um ponto um tanto polêmico é que, em se tratando de treinamentos, menos é mais. Não é recomendado exagerar na quantidade de treinamentos aos quais um trabalhador é submetido.    Devem ser feitos somente os treinamentos necessários ou aqueles que o trabalhador escolhe por livre vontade.
Cuidado similar deve ser tomado com o dimensionamento da carga horária. Treinamentos mais longos não são necessariamente melhores. Na grande maioria dos casos, são somente infinitamente mais enfadonhos, gerando insatisfação e bloqueios à influência que se quer exercer.
Treinamentos curtos demais também não são recomendados, pois podem dar uma falsa sensação de segurança aos trabalhadores.
O assunto é extenso e interessante, merecendo pesquisas mais aprofundadas, mas esperamos ter contribuído com a melhoria dos seus treinamentos!

Compartilhe seu amor
Imagem padrão
Leonidas Brasileiro
Artigos: 72

Deixar uma resposta