Consciência Ambiental nas Praias de Macaé?

Praia dos Cavaleiros em Macaé

Uma praia suja…

Este artigo foi inspirado por um passeio de final de tarde na Praia dos Cavaleiros, em Macaé. Esta cidade é conhecida como Capital Nacional do Petróleo por seu envolvimento nas atividades de exploração e produção desenvolvidas pela Petrobras e outras operadoras. Apesar disso, Macaé tem belas praias.

À tardinha de um domingo muito quente, eu e minha filha resolvemos dar um passeio à beira-mar, quem sabe até arriscando um banho. Ao chegar na praia, que ainda estava cheia de gente e com temperatura agradável na areia, nos decepcionamos muito com a sujeira que encontramos lá.

Conforme esta reportagem da InterTV, o problema não é exclusivo de Macaé. Cabo Frio tem problema similar.

A decepção veio muito do fato de percebermos que todo o lixo que encontramos havia sido trazido pelos próprios frequentadores da praia. Infelizmente muitas pessoas parecem não se importar com a limpeza da praia e muito menos se comprometem a coletar seus próprios resíduos.

Naquele horário já era possível perceber que muitos banhistas já haviam se retirado da praia. Poucos, pouquíssimos se preocuparam em recolher seu lixo e depositá-lo nas lixeiras da praia. Mesmo elas estando localizadas a cinquenta passos do local onde estavam suas cadeiras e guarda-sóis. Isto é muito, muito triste…

A Educação Ambiental

Como principal operadora das atividades petrolíferas no mar do Brasil, a Petrobras exerce uma influência muito grande sobre sua força de trabalho e sobre seus fornecedores no que se refere a cuidados com o Meio Ambiente. Um dos programas mais fortes feitos por essa empresa é o PEAT – Projeto de Educação Ambiental dos Trabalhadores. A Petrobras executa muito bem este programa, dedicando recursos e esforços condizentes com seu tamanho e com a importância do tema. Os fornecedores da cadeia de óleo e gás são cobrados ferrenhamente para que estejam com 100% de seus trabalhadores treinados e reciclados anualmente conforme os conteúdos do PEAT.

Com certeza, ter um programa deste tipo é muito bom pois garante níveis adequados de instrução ambiental a todos os trabalhadores envolvidos em atividades de exploração e produção de petróleo. Infelizmente, esta educação não se reflete no dia a dia dos moradores da região. Caso a educação ambiental aplicada na região fosse realmente eficaz, as praias seriam mais limpas.

Sem dúvida há que se considerar que a parcela da população de Macaé que trabalha diretamente com as atividades petrolíferas é relativamente pequena. Temos que considerar também que muitos trabalhadores sequer moram na cidade, usando-a somente como ponto de partida para suas atividades. Ainda assim, são todos formadores de opinião que se relacionam com as pessoas da cidade. Nestes relacionamentos profissionais e pessoais acabam por passar adiante muitos conhecimentos e conceitos aprendidos em treinamentos como o PEAT e similares. Ou deveriam passar.

Outra fonte de conhecimento ambiental são as escolas, que incutem desde cedo nos alunos conceitos de Meio Ambiente.

A Educação Ambiental não está funcionando tão bem assim

Tanto a educação ambiental oferecida aos adultos quanto aquela oferecida às crianças parecem não funcionar tão bem assim. Já participei de diversos eventos ligados ao PEAT e pude ver a seriedade com a qual é feito e cobrado. Talvez uma das razões do seu baixo sucesso seja justamente o excesso de pressão e a burocracia existente. Boa parte dos instrutores ficam tão tensos por manterem o foco em gerar as evidências (fotos, vídeos e ista de presença, todos formatados precisamente conforme instruções), gravá-las em CD e entregá-las em mãos no prazo devido que se esquecem de tratar o assunto de uma forma mais leve e atraente.

Correndo o risco de parecer rude, pode-se afirmar que os treinamentos do PEAT são alguns dos eventos mais enfadonhos e maçantes dos quais se pode participar.
Quanto às crianças, penso que ficam divididas entre o que aprendem na escola e a forma como agem seus pais. Certamente as escolas semeiam bons conhecimentos, porém estes não podem resistir a maus exemplos dos pais…

Ações do Governo

A Prefeitura, dirão alguns. É dever dela manter as praias limpas! Neste quesito, parece que a Prefeitura de Macaé já está fazendo o seu papel. Existem muitos recipientes de lixo ao longo da orla, os garis trabalham duro todas as manhãs bem cedo e há até um tratorzinho que peneira a areia da praia, livrando-a de resíduos. O problema não é a falta de ação da Secretaria de Meio Ambiente. O problema são as pessoas!

Proposta de Solução

Tendo em vista que o problema reside no comportamento dos frequentadores da praia, que não demonstram consciência ambiental, até se poderia pensar em fiscalização, multas e etc. No entanto, esta seria uma medida antipática que acabaria por cair no ridículo. A solução passa pela educação mesmo.

Comportamentos são mudados pela repetição e pela modelagem a partir de exemplos. Sendo assim, propomos que a mídia (TVs, rádios, jornais, …) se engaje em campanhas educativas que tratem o assunto com leveza e bom humor. Além disso, ´podem ser distribuídos sacos plásticos aos banhistas como forma de incentivá-los a coletar seus resíduos. Uma outra ação que pode ser feita é organizar mutirões de coleta de resíduos envolvendo adultos e crianças. Claro que devem ser tomados todos os cuidados relacionados a segurança e higiene na coleta!

Desta forma, um novo hábito seria formado. Com este novo comportamento, as pessoas que deixam seu lixo na praia é que passariam a ser malvistas. Hoje, os poucos que coletam e destinam seus resíduos é que recebem olhares de estranheza e reprovação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *