Consciência Ambiental nas Praias de Macaé?

Uma praia suja…

Este artigo foi inspirado por um passeio de final de tarde na Praia dos Cavaleiros, em Macaé. Esta cidade é conhecida como Capital Nacional do Petróleo por seu envolvimento nas atividades de exploração e produção desenvolvidas pela Petrobras e outras operadoras. Apesar disso, Macaé tem belas praias.

À tardinha de um domingo muito quente, eu e minha filha resolvemos dar um passeio à beira-mar, quem sabe até arriscando um banho. Ao chegar na praia, que ainda estava cheia de gente e com temperatura agradável na areia, nos decepcionamos muito com a sujeira que encontramos lá.

Conforme esta reportagem da InterTV, o problema não é exclusivo de Macaé. Cabo Frio tem problema similar.

A decepção veio muito do fato de percebermos que todo o lixo que encontramos havia sido trazido pelos próprios frequentadores da praia. Infelizmente muitas pessoas parecem não se importar com a limpeza da praia e muito menos se comprometem a coletar seus próprios resíduos.

Naquele horário já era possível perceber que muitos banhistas já haviam se retirado da praia. Poucos, pouquíssimos se preocuparam em recolher seu lixo e depositá-lo nas lixeiras da praia. Mesmo elas estando localizadas a cinquenta passos do local onde estavam suas cadeiras e guarda-sóis. Isto é muito, muito triste…

A Educação Ambiental

Como principal operadora das atividades petrolíferas no mar do Brasil, a Petrobras exerce uma influência muito grande sobre sua força de trabalho e sobre seus fornecedores no que se refere a cuidados com o Meio Ambiente. Um dos programas mais fortes feitos por essa empresa é o PEAT – Projeto de Educação Ambiental dos Trabalhadores. A Petrobras executa muito bem este programa, dedicando recursos e esforços condizentes com seu tamanho e com a importância do tema. Os fornecedores da cadeia de óleo e gás são cobrados ferrenhamente para que estejam com 100% de seus trabalhadores treinados e reciclados anualmente conforme os conteúdos do PEAT.

Com certeza, ter um programa deste tipo é muito bom pois garante níveis adequados de instrução ambiental a todos os trabalhadores envolvidos em atividades de exploração e produção de petróleo. Infelizmente, esta educação não se reflete no dia a dia dos moradores da região. Caso a educação ambiental aplicada na região fosse realmente eficaz, as praias seriam mais limpas.

Sem dúvida há que se considerar que a parcela da população de Macaé que trabalha diretamente com as atividades petrolíferas é relativamente pequena. Temos que considerar também que muitos trabalhadores sequer moram na cidade, usando-a somente como ponto de partida para suas atividades. Ainda assim, são todos formadores de opinião que se relacionam com as pessoas da cidade. Nestes relacionamentos profissionais e pessoais acabam por passar adiante muitos conhecimentos e conceitos aprendidos em treinamentos como o PEAT e similares. Ou deveriam passar.

Outra fonte de conhecimento ambiental são as escolas, que incutem desde cedo nos alunos conceitos de Meio Ambiente.

A Educação Ambiental não está funcionando tão bem assim

Tanto a educação ambiental oferecida aos adultos quanto aquela oferecida às crianças parecem não funcionar tão bem assim. Já participei de diversos eventos ligados ao PEAT e pude ver a seriedade com a qual é feito e cobrado. Talvez uma das razões do seu baixo sucesso seja justamente o excesso de pressão e a burocracia existente. Boa parte dos instrutores ficam tão tensos por manterem o foco em gerar as evidências (fotos, vídeos e ista de presença, todos formatados precisamente conforme instruções), gravá-las em CD e entregá-las em mãos no prazo devido que se esquecem de tratar o assunto de uma forma mais leve e atraente.

Correndo o risco de parecer rude, pode-se afirmar que os treinamentos do PEAT são alguns dos eventos mais enfadonhos e maçantes dos quais se pode participar.
Quanto às crianças, penso que ficam divididas entre o que aprendem na escola e a forma como agem seus pais. Certamente as escolas semeiam bons conhecimentos, porém estes não podem resistir a maus exemplos dos pais…

Ações do Governo

A Prefeitura, dirão alguns. É dever dela manter as praias limpas! Neste quesito, parece que a Prefeitura de Macaé já está fazendo o seu papel. Existem muitos recipientes de lixo ao longo da orla, os garis trabalham duro todas as manhãs bem cedo e há até um tratorzinho que peneira a areia da praia, livrando-a de resíduos. O problema não é a falta de ação da Secretaria de Meio Ambiente. O problema são as pessoas!

Proposta de Solução

Tendo em vista que o problema reside no comportamento dos frequentadores da praia, que não demonstram consciência ambiental, até se poderia pensar em fiscalização, multas e etc. No entanto, esta seria uma medida antipática que acabaria por cair no ridículo. A solução passa pela educação mesmo.

Comportamentos são mudados pela repetição e pela modelagem a partir de exemplos. Sendo assim, propomos que a mídia (TVs, rádios, jornais, …) se engaje em campanhas educativas que tratem o assunto com leveza e bom humor. Além disso, ´podem ser distribuídos sacos plásticos aos banhistas como forma de incentivá-los a coletar seus resíduos. Uma outra ação que pode ser feita é organizar mutirões de coleta de resíduos envolvendo adultos e crianças. Claro que devem ser tomados todos os cuidados relacionados a segurança e higiene na coleta!

Desta forma, um novo hábito seria formado. Com este novo comportamento, as pessoas que deixam seu lixo na praia é que passariam a ser malvistas. Hoje, os poucos que coletam e destinam seus resíduos é que recebem olhares de estranheza e reprovação.

Compartilhe seu amor
Imagem padrão
Leonidas Brasileiro
Artigos: 72