Estudo de Caso – Custo de EPIs

Controle de Custos, uma necessidade real

Controlar o Custo com EPIs constitui uma preocupação genuína de todas as empresas. Não há dúvidas de que é necessário proteger os trabalhadores de forma adequada e que o fornecimento de EPIs de boa qualidade e em quantidade adequada é parte deste cuidado. No entanto, a aplicação de EPIs deve ser feita de forma planejada e econômica para que não impacte demasiadamente os custos da empresa.
Neste artigo discutiremos brevemente como quantificar o consumo e orçar os custos com EPIs. Serão também abordadas algumas maneiras de manter os custos baixos.

Definição de EPIs

A quantificação do consumo de EPIs começa pela “Matriz de EPIs”, onde se definem os tipos de EPIs que devem ser usados por categoria profissional e sua exposição a riscos, bem como o período estimado de trocas e a quantidade de itens entregue a cada troca.
A definição do tipo de EPIs faz parte da avaliação de riscos, tal como visto neste artigo.
Abaixo apresentamos um exemplo de “Matriz de EPIs”, ou “Cesta de EPIs”, como chamado por alguns autores.

Matriz de EPIs, ou Cesta de EPIs
Matriz de EPIs, ou Cesta de EPIs

Neste exemplo, a durabilidade do EPI foi considerada como sendo uniforme para todas as funções. É possível individualizar o tempo de duração. Para fazer isto basta definir um multiplicador ou divisor para cada função e substituir o indicador ‘1’ em cada célula. Por exemplo, se para a ‘Função A’ a durabilidade do ‘EPI Tipo3’ é de 180 dias em vez dos 360 indicados, basta aplicar o divisor 0,5.

Precificação

O segundo passo é precificar cada item da cesta. Sugere-se tomar preços de diversos modelos de EPIs para cada item. Desta forma será possível ajustar os custos, durabilidade e qualidade dos EPIs oferecidos aos trabalhadores.

Item Fabricante Modelo Custo
Bota em PVC cano Curto Italbotas Stivaletto R$ 23,70
Bota em PVC cano Longo Alpargatas Capataz R$ 29,40
Botina Bracol SPC230 R$ 43,90
Capacete MSA V-Guard R$ 29,40
Luva de Raspa Soft Soft R$ 6,45
Luva de Vaqueta Proteplus PPM 11 R$ 26,99
Luva Mista Soft Petroleira R$ 12,90
Luva PVC VinilPlast VinilPlast R$ 7,60
Macacão Dupont Tyvek R$ 23,60
Máscara de Solda Advanced R$ 46,10
Máscara de Solda 3M Speedglass sem Filtro R$ 484,60
Óculos de Proteção Univet X-Generation R$ 36,00
Óculos de Proteção Danny Aguia R$ 3,40
Óculos de Proteção 3M Virtua R$ 4,80
Protetor Auditivo de Inserção X-Treme X-Treme R$ 0,50
Protetor Auditivo Tipo Concha 3M H6A R$ 70,20
Respirador Facial MSA ULTRAVUE R$ 561,80
Respirador Semi-Facial 3M 6000 R$ 65,30
Respirador Semi-Facial 3M 3200 R$ 29,90
Respirador Semi-Facial PFF1 3M 8720 R$ 3,30
Respirador Semi-Facial PFF1 3M 9901 R$ 1,70
Respirador Semi-Facial PFF1 (Vapores) 3M 8713 B R$ 29,90
Uniforme Comum Comum R$ 124,00
Uniforme Pintor Pintor R$ 201,00

*Preços meramente ilustrativos tomados com base em pesquisas na Internet em maio/2017.

Custo por Função

O terceiro passo é calcular o custo da cesta de EPIs para cada função em um determinado período. A maneira de fazê-lo é verificar:

  • Quais EPIs compõem a matriz de cada função;
  • Quantas trocas são necessárias conforme o período de trocas (durabilidade);
  • Qual o custo unitário de cada EPI;
  • Com estes dados em mãos, calcula-se para cada função:
formula_Custo
Fórmula de cálculo do custo de EPI por função

O custo da cesta de EPI é a soma da quantidade de cada item vezes as trocas devidas no período vezes o custo unitário de cada item.

Como exemplo, consideremos o custo anual (365 dias) em uma indústria metal-mecânica com 125 funcionários divididos conforme a tabela abaixo:

Funções Quantidade Cesta de EPIs Custo no Período
Serralheiro 20 R$ 494,60 R$ 9.892,00
Pintor 10 R$ 1.831,66 R$ 18.316,60
Auxiliar 50 R$ 474,20 R$ 23.710,00
Administrativos 23 R$ 49,90 R$ 1.147,70
Suporte Operacional 10 R$ 64,60 R$ 646,00
Técnico de Segurança 1 R$ 205,00 R$ 205,00
Lavadores 5 R$ 1.523,30 R$ 7.616,50
Soldador 6 R$ 1.046,50 R$ 6.279,00
Total 125 R$ 67.812,80

A planilha com os cálculos pode ser baixada aqui.

Conclusões

Os custos estimados no exemplo são bastante razoáveis. Na prática, costumam ser muito maiores devido à dificuldade de se manter um controle efetivo. Vale salientar que o consumo de EPIs muito abaixo do estimado também representa um problema, pois significa que os trabalhadores não estão sendo adequadamente protegidos. Neste caso, o risco de danos à saúde e eventuais problemas jurídicos é aumentado.

O controle necessário a uma gestão de EPIs eficaz engloba:
– Garantir que cada funcionário receba os EPIs necessários conforme os riscos aos quais está exposto;
– Registrar cada entrega individualmente, com comprovação de recebimento pelo funcionário;
– Utilizar somente EPIs para os quais os devidos CA – Certificados de Aprovação estão válidos;
– Trocar os equipamentos em períodos condizentes com seu prazo de durabilidade em uso ou sempre que sofrerem danos;
– Treinar os trabalhadores quanto ao seu uso, conservação e descarte;

zEPI, a ferramenta para controle de EPIs da LBM DATA

Agregadas a estas necessidades operacionais, ainda existem outras necessidades como gerar dados para o eSocial e controlar estoques.
Esta gestão é bastante trabalhosa. Com este pensamento em mente, aliado à experiência de diversos anos em gestão de Segurança do Trabalho, foi criado o zEPI para atender a todas estas demandas.

Veja o descritivo do zEPI e entre em contato conosco. Podemos ajudá-lo a controlar seus EPIs!

Compartilhe seu amor
Imagem padrão
Leonidas Brasileiro
Artigos: 72