Gestão de Segurança Patrimonial – Principal

Segurança Patrimonial

Atividade Adicional à Segurança do Trabalho

Em muitas empresas, a gestão de Segurança Patrimonial acaba ficando sob os cuidados da área responsável pela Segurança do Trabalho. Esse arranjo, embora bastante comum, soa estranho e assustador para muitos profissionais de segurança do trabalho.

Há claramente uma diferença entre as expectativas do engenheiro ou técnico de segurança e as do empresário quanto ao desempenho desta atividade. Para os primeiros, gestão de segurança patrimonial é uma atividade auxiliar que pouco tem a ver com prevenção de acidentes e cuidado com saúde dos trabalhadores. Para os segundos, é um encaixe natural, visto que ambas as disciplinas fazem uso da palavra “Segurança” e, muitas vezes, o empresário não compreende totalmente as demandas de trabalho do profissional de segurança e o julga “subutilizado”.

Nesta série de artigos, será explicado como estabelecer um bom serviço de Segurança Patrimonial e usá-lo como ferramenta a serviço da Gestão de Saúde, Segurança e Meio Ambiente.

Começaremos por entender o propósito desta importante atividade.

Conceito de Segurança Patrimonial

Segurança Patrimonial serve para prevenir e reduzir perdas patrimoniais em uma organização, conforme definido neste artigo da Wikipedia. Em algumas organizações, esta disciplina é considerada estratégica, seja por conta do alto valor agregado de seus produtos, vulnerabilidades das instalações da empresa, ou facilidade de subtração (furto ou roubo) de materiais. Para outras, é somente uma atividade corriqueira a ser desempenhada para evitar que a empresa vire uma “terra de ninguém”.

Para cumprir seu objetivo de forma adequada, qualquer que ele seja, é necessário primeiramente compreender qual a real necessidade da empresa, pois implementar um serviço de segurança patrimonial estratégico é muito diferente de fazê-lo para uma empresa que necessite somente de um controle patrimonial básico. Os custos são radicalmente diferentes, assim como o grau de exigência quanto aos profissionais que operacionalizam a atividade.Necessidades da empresa.

Para definir as necessidades da empresa em termos de Segurança Patrimonial, é preciso fazer um diagnóstico. As empresas de Segurança Patrimonial mais conceituadas chamam isto de “Estudo de Segurança” ou Diagnóstico mesmo. De forma geral, devem ser respondidas as questões abaixo, entre outras:

Questões Chave do Diagnóstico

  • Onde está localizado o local a ser protegido? Locais urbanos necessitam de mais mão de obra dedicada pois certamente haverá maior contato com o público. Zonas rurais ou afastadas podem ter equipes menores desde que possam ser cercadas.
  • A localidade tem histórico de criminalidade? Caso haja criminalidade no local, a Segurança Patrimonial deve ser preparada para tal. A resposta a esta pergunta ajuda inclusive a decidir se serão ou não usadas armas de fogo.
  • O local é cercado? Locais bem cercados ajudam muito à Segurança Patrimonial, pois limitam pontos vulneráveis à invasão.
  • Quais são os produtos armazenados e despachados no local? Este é um fator de atração para malfeitores. Mercadorias de consumo que podem ser facilmente repassadas, tais como eletrônicos e alimentos representam um risco maior do que bens duráveis que requerem mais esforço no seu transporte e tem procura limitada, embora tenham valor agregado mais alto.
  • Há legislação específica sobre estes bens e produtos? Existem insumos e produtos que devem obedecer critérios legais bem restritivos quanto ao seu uso, transporte e armazenamento. Perder, por furto, roubo ou extravio, qualquer destes materiais gera muitos problemas para a empresa. Logo, a equipe de Segurança Patrimonial deve compreender e saber lidar com estes produtos.
  • Estes bens e produtos podem ser escondidos nas roupas, mochilas, bolsas ou veículos dos funcionários, visitantes e prestadores de serviços? Quando os bens produzidos pela empresa são suficientemente pequenos, o risco de furtos pelos próprios funcionários, visitantes e prestadores de serviços é aumentado. Devem ser tomadas precauções adicionais para evitar estas ocorrências.
  • Há atividade corporativa na localidade? O tipo de atendimento dispensado a personalidades corporativas é diferente de um local em que somente ocorrem atividades produtivas. Escritórios corporativos devem ser dotados de bons locais de espera para visitantes, por exemplo. Em locais onde há somente produção, não é necessário um ambiente sofisticado.
  • Há contato com estrangeiros? Nas situações em que há interação com estrangeiros, a equipe de Segurança Patrimonial deve ser capacitada para se comunicar de forma razoável.

Próximos Passos

Com base nas respostas a estes questionamentos, o serviço de Segurança Patrimonial poderá ser corretamente dimensionado quanto ao tamanho, especialização e capacitação da equipe e recursos necessários.

No próximo artigo desta série, será abordada a forma correta de tratar dos apontamentos – Vulnerabilidades – do “Estudo de Segurança” ou Diagnóstico.

https://www.leonidasseg.com.br/gestao-de-seguranca-patrimonial-vulnerabilidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *