SIPAT – Semana Interna de Prevenção de Acidentes

SIPAT

Um Requisito Legal

A Norma Regulamentadora NR-5, estabelece em seu artigo 5.16, alínea “o” como uma das atribuições da CIPA, a realização da SIPAT. A Semana Interna de Prevenção de Acidentes deve ser feita anualmente e envolver todos os trabalhadores do local. Englobam-se aí tanto os funcionários diretos da empresa que promove a SIPAT quanto os prestadores de serviço “fixos”. Neste artigo veremos como organizar um bom evento!

Cumpra os requisitos básicos

A SIPAT é uma atribuição da CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – e como tal, deve obrigatoriamente cobrir alguns temas básicos, apresentados no próprio corpo da NR5:

– Alertar sobre Riscos dos Processos de Trabalho;
– Divulgar informações sobre Segurança e Saúde;
– Divulgar e promover o cumprimento das Normas Regulamentadoras e cláusulas de acordos e convenções coletivas de trabalho relacionadas à Saúde e Segurança no trabalho;
– Desenvolver Campanha de Prevenção da AIDS;

Selecione temas

Além dos temas exigidos pelos requisitos básicos, cada empresa deve selecionar um tema ao redor do qual desenvolver uma campanha, exatamente da mesma forma que as grandes empresas fazem suas campanhas de marketing.

A seleção do tema é muito importante e a ela deve ser dedicado bastante tempo e esforço por parte dos membros da CIPA e do SESMT.

Quais seus problemas?

O tema a ser desenvolvido deve estar ligado aos problemas relacionados a Saúde e Segurança enfrentados pela empresa. Uma boa forma de definir um tema significativo é analisar os dados estatísticos disponíveis na própria empresa:

– Causas dos acidentes do último ano;
– Principais fatores que levaram a ausências no trabalho (absenteísmo);
– Queixas relacionadas à questões de Segurança e Saúde feitas pelos trabalhadores à CIPA ou através de outros canais de coleta de opiniões (“Sugestões”, “Alertas”, etc.);

Os temas apontados pela pesquisa interna devem ser priorizados por ordem de importância: Aos assuntos mais significativos devem ser dedicados mais tempo e espaço na SIPAT.

Problemas Comuns

A variedade de problemas apontados costuma girar em torno de alguns problemas bem específicos de cada local de trabalho e outros mais comuns. Entre os temas comuns podemos apontar:

– Uso de EPIs;
– Percepção de Riscos;
– Comportamento Seguro;
– Respeito a Regras e Procedimentos;
– Ergonomia;

Abordagens Mais Profundas

Existem alguns problemas mais profundos, que requerem uma análise mais cuidadosa do ambiente de trabalho. Estes problemas normalmente estão por trás de algumas das causas identificadas em acidentes e incidentes e são difíceis de serem abordados. Problemas como depressão, alcoolismo, tabagismo, dependência química e transtornos psicológicos podem também ser abordados na SIPAT. Estes assuntos costumam gerar muitos questionamentos entre os trabalhadores e aumentam a procura por ajuda entre as pessoas que se sentem enquadradas nestas situações.

Caso a empresa decida abordar estes assuntos, a abordagem deve ser feita de forma profissional e a empresa deve estar preparada para atender aos trabalhadores que se sentirem atingidos e procurarem ajuda. Se não for possível tratar o assunto de forma abrangente, talvez seja melhor não tratá-los de forma tão aberta na SIPAT. O tratamento necessário pode ser oferecido de forma mais discreta com base em informações de gestores e do serviço médico.

Engajamento em Ações do Governo

A empresa pode ainda se enquadrar em programas preventivos do governo que tratam de problemas mais comuns a toda a sociedade. Entre estes problemas podemos destacar:

– DST – Doenças Sexualmente Transmissíveis;
– Dengue;
– Acidentes de Trânsito;
– Tabagismo;

Nestes casos, as organizações do governo (secretarias, órgãos de trânsito, etc.) costumam oferecer recursos de suporte tais como folhetos e profissionais para dar palestras.

Meio Ambiente

Questões relacionadas a Meio Ambiente também podem ser tratadas na SIPAT:

– Uso de Recursos Naturais;
– Descarte de Resíduos;

Adapte o conteúdo à empresa e ao ambiente

Definidos os temas a serem abordados na SIPAT, os organizadores devem definir COMO cada assunto será abordado.

Não há fórmula rígida a ser cumprida em uma SIPAT. O que importa é fazer com que as mensagens de cada tema sejam passadas à maior quantidade possível de trabalhadores e que eles COMPREENDAM o assunto. Mais importante ainda é que os conteúdos comunicados gerem mudança de consciência e melhoria de comportamentos dos trabalhadores, levando a melhorias na gestão de segurança.

Uma boa forma de estruturar os conteúdos de uma SIPAT é tratá-la como um Plano de Comunicação. Um bom plano define claramente os critérios de comunicação a serem empregados. O artigo “Comunicação na Gestão de Segurança, Saúde e Meio Ambiente” explica como deve ser feito este plano. De forma muito sucinta, deve ser definidos os seguintes parâmetros no plano da SIPAT:

Parâmetro

Considerações a serem feitas

O que (What)

O que será feito? Pode ser uma palestra, um sorteio ou qualquer outro tipo de evento que diga respeito a algum dos temas definidos para a SIPAT

Por Que (Why)

Por que esta ação será feita? Como se relaciona ao tema definido?

Para Quem (To Who)

Qual o público a ser atingido? Em qual horário estarão disponíveis? A atividade será feita com todos juntos, em pequenos grupos ou ficará disponível em algum lugar?

Por Quem (By Whom)

Quem será responsável? Se for uma palestra, quem será o palestrante?

Onde (Where)

Onde será feita a atividade? Há local disponível?

Quando (When)

Quando será feita? Precisará ser feita em turnos ou na troca de turnos?

Como (How)

Como será a atividade? Qual o roteiro a ser seguido?

Quanto (How Much)

Quanto custará a atividade? Será contratada ou será feita com recursos internos? Será necessário locar materiais e contratar serviços?

A elaboração do plano é bem importante, pois garante a fluidez e adequação das atividades. Também permite que seja feita uma boa divisão das atividades de modo que não sobrecarregue ninguém e que os custos fiquem sob controle.

Cabe aqui um alerta a respeito de atividades ofertadas por fornecedores de forma gratuita. Estas ofertas, que resolvem o problema de falta de conteúdo em algumas SIPAT, precisam ser bem avaliadas pelos organizadores. As empresas que fazem estas ofertas têm seus interesses e é importante que estejam alinhados com os interesses dos organizadores. Não há problema em um fornecedor de EPIs oferecer uma palestra sobre Proteção Auditiva, por exemplo. Está claro que o interesse do fornecedor é vender mais. Cabe à empresa que recebe a palestra decidir se fará negócios com este fornecedor ou não.

O problema surge nos casos em que empresas oferecem palestras gratuitas e ao final tentam vender mercadorias diretamente aos funcionários ou fazer cobranças via folha de pagamento. Os palestrantes costumam ser bem habilidosos e conseguem convencer pessoas do público a comprarem livros, DVDs e outros itens que são até de boa qualidade. No entanto, a chance do trabalhador se arrepender da compra no dia seguinte é enorme. Ele virá à organização da SIPAT tentando devolver o que comprou. Isto gera conflito pois normalmente não há o que fazer pois se trata de um acordo entre o próprio funcionário e a empresa que deu a palestra. Sugerimos evitar esses dissabores. Caso sejam feitas atividades gratuitas, certifique-se de que os interesses do fornecedor e da organização da SIPAT coincidem e que os funcionários não serão lesados ou induzidos a comprar coisas em que não estão interessados de verdade.

Envolva os trabalhadores

Uma boa SIPAT é divertida. As atividades devem ser suficientemente variadas para abranger a maioria dos trabalhadores e eles devem passar bons momentos participando. Essa é uma garantia que as mensagens definidas como temas da SIPAT ficarão gravadas em suas memórias e auxiliarão a melhorar o desempenho de segurança.

Uma questão importantíssima a ser tratada é a DIVULGAÇÃO das atividades da SIPAT. Os trabalhadores precisam ser informados de forma intensa sobre tudo o que acontecerá. Faixas, cartazes, panfletos, avisos em reuniões devem ser usados ao máximo.

Cerimônias de abertura e encerramento são muito bem-vistas pelos trabalhadores. Sorteios e distribuição de brindes também. Em algumas empresas já é tradição distribuir a “camiseta da SIPAT”. Esta camiseta deve ser usada por todos em algum momento específico para marcar o evento. O efeito de geração do sentimento de equipe é muito positivo.

Como se trata de uma atividade formal, feita em cumprimento a um requisito legal, é necessário gerar evidências da participação dos trabalhadores. Faça fotos de todas as atividades e colha assinaturas em listas de presença.

Faça história!

Uma SIPAT dinâmica e bem organizada fica na memória dos trabalhadores e realmente ajuda a formar equipes e fortalecer a Cultura de Segurança de uma empresa. Dedique tempo e esforço à SIPAT! É muito gratificante ser abordado semanas ou meses após a realização do evento e ser cumprimentado por trabalhadores e ver que algumas pessoas foram conscientizadas sobre seus problemas e procuraram ajuda.

Como não poderia deixar de ser, a exigência será cada vez maior. Ano após ano a SIPAT deve ser melhor. É um bom desafio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *